TRADUÇÃO: Entrevista de Camila Cabello para a Cosmopolitan UK.

04 maio 2018

“Regras da Camila”

COSMO: Conheça Camila Cabello, a musicista mais conhecida no mundo no momento, e possivelmente uma das mais motivadas.

Camila: “Não se acomode”

“Sempre se lembre o quão melhor você precisa ser”

“Eu aprendi a usar a pressão como vantagem”

COSMO: 3 da tarde de uma terça-feira à tarde e estou sentado em frente ao vidro da recepção do escritório de publicidade de Camila Cabello. Cabello está no meio de um turbilhão de turnês de publicidade em Londres e está atrasada. Mas essas coisas acontecem. Nas últimas 72 horas, a cantora já fez um ensaio de fotos para a Cosmopolitan, uma entrevista na Radio 1 com Nick Grimshaw, uma performance de Dancing On Ice [programa de TV britânico], outro ensaio de fotos street e pelo menos mais seis entrevistas diferentes para televisão.

Dez minutos depois, alguém de sua equipe aparece.

“Camila está pronta pra você agora”, ela sorri.

Eu sou conduzido a uma sala de reuniões com uma mesa de reunião no meio. Do tipo que se espera encontrar Donald Trump sentado no final, e não uma mulher pequena e dócil cujas franjas marrons caem sobre o rosto como um par de cortinas de uma mansão.

Uma mulher mais velha se senta ao seu lado de maneira protetora enquanto a jovem mulher folheia atenciosamente uma revista, dobrando os cantos das páginas com frequência. Essa é Camila Cabello, a maior estrela do pop no mundo, cercada por sua mãe.

CC:”Oi”,

COSMO: ela acena para mim enquanto sua mãe sorri e então se retira silenciosamente. Ela me diz que está cansada. Eu conto que estou cansado também, já que voei de LA na noite passada. Ambos rimos.

CC: “Só estou procurando por roupas que eu goste”,

COSMO: ela sorri ao continuar folheando a revista.

Poucos musicistas jovens podem competir com a trajetória de Cabello. Ela foi quem encontrou fama aos 15 anos no The X Factor (US) ao ser colocado em um grupo montado por Simon Cowell. A banda era Fifth Harmony, um dos girlgroups de mais sucesso nos últimos seis anos. Elas tiveram dois álbuns top 10, múltiplas turnês esgotadas, e então, no auge de sua fama, Cabello simplesmente sai. As companheiras de banda disseram estar “machucadas e confusas”, e pareceram demonstrar tais sentimentos ao empurrarem uma ‘Camila’ boneca do palco durante uma perfomance no VMAs da MTV no ano passado (e anunciaram um hiatus da banda em Março).

Mas nesse meio tempo, Cabello planejava silenciosamente, se preparando para liberar seu trabalho solo para o mundo. Em Agosto, ela simplesmente o fez. Havana, um single pop de influências latinas que homenageia a cidade onde ela nasceu, tem sido tocado em todas as estações de rádio no mundo e alcançado o número um em 22 países, incluindo os Estados Unidos e o Reino Unido, e assim permaneceu por cinco semanas.

Seu álbum, Camila, esteve entre o topo do iTunes em 99 países em Janeiro e foi direto o número um nos EUA. Ela também teve uma turnê esgotada, em um dia.

CC: “Nunca se acomode. Não importa o que qualquer pessoa me diga, eu sei que eu preciso de mais que um bom álbum para ter uma carreira”,

ela diz. “Mesmo quando alguém me diz que as estatísticas e números são incríveis, eu relembro a mim mesma de que se não se pode manter isso por uns 15 anos, como as maiores pessoas fizeram, então… é por isso que gosto de olhar para pessoas como Prince e Madonna porque isso me relembra – “Você tem muito o que fazer, querida, antes de parar de prender e crescer””.

COSMO: Ela acrescenta,

CC:“nunca deixe subir para a cabeça e lembre-se sempre o quão melhor você precisa ser.”

COSMO: Com uma conversa dessas, é fácil se esquecer que Cabello tem apenas 21 anos e ainda vive com os pais em Miami. Não restam dúvidas de que ela possui uma cabeça madura, visto que ela vem trabalhando solidamente com a indústria da música desde seus 15 anos, quando fez uma audição para o The X Factor (US).

CC: “Muitas das coisas que tive que aprender aos 15 anos ainda são praticadas por mim. Eu seria muito pior se eu não as tivesse aprendido. No The X Factor, eu aprendi a usar a pressão como vantagem,”

COSMO: ela explica.

CC: “Tanto que agora eu sinto que posso lidar com situações de pressão – onde você afunda ou nada. […] Isso me deu determinação.”

“Sempre que recebia muita atenção, entrava em pânico.”

COSMO: Ela nem sempre quis ser uma cantora, no entanto. Crescendo em Cuba e após se mudar pro país de origem de seu pai México, ela continuou tímida.

CC: “Tipo muito introvertida,”

COSMO: ela conta. Sua família imigrou pros Estados Unidos, ficando em Miami quando ela tinha 7 anos. “Eu era uma nerd de all stars.” ela acrescenta.

CC: “Música sempre foi meu hobby, mas nunca cantei publicamente. Eu choraria se minha família me pedisse pra cantar para eles. Ou quando cantavam parabéns para mim, porque quando recebo muita atenção, eu entro em pânico. Até hoje, quando estou dando entrevistas, e tem mais de oito pessoas na sala eu fico com ansiedade. É como se tivessem duas partes diferentes de mim.”

COSMO: Então veio como uma surpresa para a família de Camila quando ela anunciou que, para seu aniversário de 15 anos, ela queria ir às audições do The X Factor (US).

Ela me conta a história da festa latina ‘quinceañera’.

CC: “Basicamente, quando você faz 15 anos, os latinos tem esse costume. É como a comemoração americana ‘Sweet 16’, só que aos 15. É quando você se torna uma mulher.” ela sorri.

“Eu estava tipo ‘eu nunca tive uma festa de aniversário e não sei se quero agora’ ao invés disso, eu quis que me levassem ao X Factor – que estavam fazendo audições na Carolina do Norte.”

COSMO: Seus pais concordaram, fizeram as malas e levando sua avó junto à uma viagem de 13 horas. Éramos só nós nesse minúsculo carro durante todo o percurso.” Camila não passou da fase ‘boot camp’, mas mais tarde foi convocada por Simon Cowell e outros jurados para formar o grupo Fifth Harmony juntamente com Ally Brooke, Normani Kordei, Dinah Jane e Lauren Jauregui.

CC: “Nós fizemos muita coisa juntas e passamos pelas mais transforma… transforma… transformadoras! Transformadoras experiências. Desculpa, não tenho dormido por umas duas semanas! Eu fui exposta à área de trabalho que era o meu sonho.” Mas foram cinco anos intensos, fazendo turnês intermináveis por shoppings no começo da carreira. “Eu só lembro de ter espinhas,” diz Cabello. “Espinhas horríveis. Isso é tudo de que me lembro…”

COSMO: O jeito como tudo acabou é um assunto ainda desconfortável para Camila. É a única parte que ela não gosta de falar sobre na entrevista, e me disseram anteriormente que ela não gosta que levem a entrevista a esse assunto. Mas o que é claro é que ela se sentia sufocada no grupo – e começou a escrever material solo desde cedo.

CC: “Comecei a escrever aos 16 anos.” revela Camila.

“Na mesma época em que eu estava gostando de um menino e sendo correspondida. Quando estávamos em turnê, em nossos dias de folga, eu só ficava no meu quarto de hotel e escrevendo no meu laptop.” Sobre o quê ela escrevia? “Meu primeiro namorado, primeiro beijo, primeiro encontro… Eu tinha um bocado de músicas escritas e eu queria me expressar completamente,” ela diz.

COSMO: Logo, sair sozinha e estar no controle das decisões de sua carreira foram incrivelmente libertadores. Você sentiu um peso sair das suas costas?

CC: “Sim, definitivamente,” ela diz. “Ainda me faz bem… Eu amo tomar todas as minhas decisões, porque o produto disso foi algo que me representa completamente. É como fazer meu próprio café da manhã. Tem um gosto melhor do que o de um restaurante, porque é seu, porque você o fez. Foi assim que me senti.”

COSMO: Quando ela saiu da banda, ela tirou suas primeiras férias em cinco anos – uma semana em Cancún. Mas não demorou muito para ela se sentir vazia novamente. E, como resultado, Cabello é muito restrita com o seu honorário esses dias – apesar de que, ela está claramente exausta de toda essa viagem da tour promocional.

CC: “A única coisa que foi difícil [sobre seguir carreira solo] foi que houve um ponto onde eu não tive vida porque estava trabalhando sempre,” ela relata. “Eu estava tipo, ‘Eu realmente preciso de equilíbrio. ‘ E foi assim essa pressa que não tinha tempo. Com poucos meses eu estava falando pra mim mesma, ‘Isso não está me ajudando. O trabalho seria melhor se eu trabalhasse menos intensamente.'”

“Às vezes se as coisas estiverem tipo..” ela inspira longamente para demonstrar sufoco. “Se você não tirar um segundo para ter outra perspectiva, você começa a ver coisas como elas não são.”

COSMO: Outra coisa com a qual Camila teve que lidar foi com seu TOC. Ela disse que, em um certo ponto, ele a acordava “com um batimento cardíaco acelerado e pensamentos bem negativos, intrusivos e compulsivos.”

Hoje ela admite,

CC: “TOC é estranho. Eu sorrio com isso agora. Todo mundo tem diferentes maneiras de lidar com o estresse. E, para mim, se eu fico muito estressada com algo, eu começo a ter o mesmo pensamento várias e várias vezes, e não importa quantas vezes eu chegue numa solução, eu sinto como se algo ruim estivesse prestes a acontecer se eu não continuo pensando nisso. Eu não sabia o que era isso e quando descobri, e aprendi como controlar isso, me senti muito melhor. Eu me sinto muito mais no controle agora. Até o ponto em que eu estava tipo, ‘Aha! Ok, isso é só meu TOC.’ Eu perguntaria uma pergunta à minha mãe pela 4ª vez e ela estaria dizendo, ‘Isso é o TOC. Você tem que deixá-lo ir.'”

COSMO: Cabello aprendeu técnicas de como lidar com isso. “Você não pode entretê-lo e pensar em outra coisa. É tipo se coçar. Você só tem que fazer outra coisa ou você vai acabar encorajando a coceira.”

Trabalhando na indústria musical, ela se preocupa em se exaurir.

CC: “Eu odeio pensar nisso,” ela diz. “Eu não quero ser uma fonte de dor. Isso é um crime para mim porque é a coisa que eu mais amo no mundo. Não quero torná-la em algo que me faça infeliz. Então eu sou muito cuidadosa em relação à minha carreira. Quando sinto que estou chegando a esse ponto, eu falo, ‘Precisamos tirar algumas coisas, você tem que me dar mais dias de folga, algo tem que acontecer.’ Quando você está exausta, você só quer acabar com tudo, e você não quer acabar com algo que você se importa tanto.”

COSMO: É em casa, em Miami, que Cabello escolhe relaxar. “Sinceramente, eu assisto muitos filmes como Harry Potter. É minha coisa favorita de fazer. Eu apenas amo estar na minha casa com minha família. No meu quarto, sozinha. Eu amo isso. É a melhor coisa.”

CC: “Eu passei muito tempo pensando que se eu precisasse descansar então eu não estava trabalhando o suficiente, e agora eu penso o oposto. Eu preciso de tempo para mim mesma, para ser criativa e pensar em ideias e ter experiências com as quais eu possa crescer, escrever sobre e transformar em arte. E não pela minha carreira, mas por mim. Para minha satisfação pessoal. Ninguém ganha nada de mim enquanto estou assistindo Friends o dia todo com meus amigos. Mas é só pra mim, e essa já é uma razão boa o suficiente.”

COSMO: Estar longe de casa é a coisa mais difícil que Camila encontra em sua carreira. “Até hoje é difícil,” ela suspira.

CC: “É a parte mais difícil – estar longe de minha família. Eu não quero nunca me mudar pra Los Angeles porque eu não posso viver longe deles.” Então, quando ela viaja, leva sua mãe junto. “É muito legal, ela é minha melhor amiga. Minha outra metade.”

COSMO: Isso a mantém firme.

CC: “Tem algo sobre estar com sua mãe. Você se sente como uma criança. E sua família não se importa se você fez besteira ou flopou ou se sua música não foi um sucesso. Eles te amam independentemente e isso é muito importante para mim.”

COSMO: Outra pessoa com quem Camila passa muito tempo é com Taylor Swift. Elas se conheceram no VMAs há quatro anos atrás.

CC: “Sim – ela diz sorrindo -, eu a amo. Nós só conversamos sobre garotos. Ela ama amar, e amamos falar sobre isso. É divertido só conversar e sonhar.”

COSMO: Quanto a pergunta de se existe um homem no momento, Cabello não comenta. Mas recentemente ela foi fotografada beijando o britânico coach de relacionamentos e expert em relações da revista US Cosmopolitan’s Matthew Hussey numa praia em San Lucas.

A publicitária de Camila entra na sala e diz que precisamos trocar de sala pois precisam usar o espaço. Nós nos mudamos para sala ao lado, mas eu posso sentir que as últimas duas semanas tiraram o vigor e Camila está fraca.

Como ela lida com o Jet Lag?

CC: “Eu apenas lido com ele, com adrenalina e também alegria. Você tem que ser feliz pois assim se sentirá menos cansada.”

Mas ainda está complicado. “Eu não tenho muito tempo, porque estou sempre trabalhando. E também ficar viajando por lugares diferentes pode ser solitário.” Então seria ela uma viciada em trabalho? “Sim,” ela responde. “Mas eu queria que tivesse mais tempo para que eu pudesse fazer tudo que eu quero. Eu sinto que sou viciada em sonhos. Eu não trabalho só para fazer algo, mas eu sempre tempo que inventar algo novo. Surgir com uma nova música ou ideias para um novo álbum ou clipe.”

COSMO: Ela se considera uma mulher de negócios?

CC: “Aí é que está,” ela diz. “Eu odeio a palavra ‘dinheiro’. Simplesmente não… [suporto]” Ela dá uma pausa, pensando, antes de continuar, “Meu pior medo é fazer um álbum para que ele venda muito ou seja muito bem sucedido. Não quero ser a pessoas que faz músicas no estúdio dizendo, ‘A rádio vai amar isso’ ou ‘Nós ficaremos ricos depois desse single.’ É nauseante para mim. Eu só preciso do suficiente para deixar minha família e eu confortáveis, e têm sido uma bênção para mim poder ajudá-los dessa maneira.”

COSMO: Com isso, nós concluímos a entrevista, porque é o horário do próximo entrevistador.

CC: “Descanse um pouco,”

COSMO: ela diz e eu digo como resposta, “Você também.”

“OK,” ela responde.

Do lado de fora, está um caos. Outro jornalista está esperando para entrar para seu turno, junto com uma grande equipe de filmagem. Mais tarde ela precisa ensaiar para os BRITs, aonde ela estará apresentando um prêmio amanhã à noite. Algo me diz que Cabello não conseguirá o descanso que ela corre atrás por mais um tempo.

CAMILA, o álbum, já está disponível.

 

Fonte: Cosmopolitan UK

Tradução e Adaptação: Equipe CCBR.

Comments

comments

COMENTÁRIOS